• Séries

    SÉRIES

  • Comportamento

    COMPORTAMENTO

  • Mercado

    MERCADO

Arrumando a casa – projeto aResta

Desde Maio deste ano estamos co-criando o projeto aResta compartilhando em nossa fanpage as matérias conforme as produzimos. Porém, nos demos conta de que não havíamos escrito nada sobre o projeto para que ele ficasse “guardado” no nosso site – onde achamos que os conteúdos ficam mais organizados.

Muito bem. Relendo depois de 4 meses de aResta os textos que escrevemos no começo, acabei lembrando porque essa ideia era – e ainda é – tão gostosa.

Claro, realizá-la foi ainda melhor, mesmo com alguns percalços que não estavam no plano. Coisa que faz parte da vida real, bem sabemos.

Como contado no texto Por que co-criar o aResta?, o desejo surgiu depois do estudo Ser Freelancer | trabalhando com pesquisa no Brasil, onde conhecemos algumas cidades do país a partir de um novo olhar. Percebemos um lado empreendedor, criativo, forte, corajoso, nos profissionais de uma área que ainda vive um pouco escondido no mundo dos negócios.

Talvez pelo seu lado estratégico – demanda que faz parte de muitos projetos – ou por precisar em certos momentos de aprofundamento em análises. Não sei ao certo. O que sei é que sempre tem alguém querendo fazer parte dessa galera que, inevitavelmente, se conhece pelos jobs da vida.

Decidimos construir o aResta para contar novas histórias de lugares além da nossa esquina. Lemos sobre grandes cases, especialmente aqueles que acontecem no eixo Rio – São Paulo. E tudo bem, sabemos que muito acontece por lá, mas há muito mais Brasil, meu bem.

Começamos por três cidades chamadas de “periféricas” por alguns: Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife, onde encontramos a confirmação da força no existir. Ser empreendedor é uma decisão que carrega muitas responsabilidades. Conhecer pessoas que estão realizando o que acreditam, nas cidades que amam, respeitando as particularidades locais faz o coração bater tranquilo e quentinho no peito.

Morar em Porto Alegre nunca foi tão difícil. Falta de segurança – somos a 9ª cidade mais perigosa do mundo e Recife quis ficar por perto no 8º lugar – é apenas um dos problemas. E passar por uma crise de valores nacional fora da região central, garanto, não é fácil. Por isso valorizo tanto essas pessoas e marcas que continuam acordando todos os dias, e mesmo tendo dúvidas, lavam o rosto e vão passar um café.

Eu acredito nas cidades que estudamos e conhecemos mais agora. Eu nunca imaginei que BH e Recife fossem tão parecidas com Porto Alegre. Não as conheço – ainda – pessoalmente e não tinha tido antes a oportunidade de conversar sobre nossas semelhanças. E o tempo que passamos juntos como aResta foi muito particular. Sérgio passando calor no Belô, Thais mais ainda em Hellcife, a Be em Dublin com 4 horas de diferença e todos compartilhando felicidades-e-dificuldades.

Agora refletindo sobre o aResta, a vontade que dá é de fazer tudo de novo e mais um pouco. Não sei ainda para onde vamos, mas com certeza saímos com uma história maravilhosa de co-criação em rede.

Não sei como foi pra ti, mas eu senti que não estava sozinha nesse pedacinho do sul do Brasil. Mesmo com dificuldades é bom saber que temos alguém para dar a mão e oferecer o ombro. Se precisar, estamos por aqui.


Se você quiser mais informações sobre este tema, podemos conversar por email -